3 de jul de 2007

A questão Renan...

O caso de Renan Calheiros, presidente do Senado, nos coloca numa situação muito complicada ao meu ver. Soma-se a uma série de escândalos que contam com o megafone dos meios de comunicação e também (e por que não) sua indústria de boataria. Quero defender Renan? Não, longe de mim! Apenas fico numa dúvida como cidadão que acredita nos ideais republicanos; o que é o melhor a fazer/ o que é o pior a fazer?
A situação de corrupção no país chegou a tal grau que estamos no limiar das instituições, frente a isso o espanto é necessário, a inconformidade frente a tal situação é quase um dever de todo cidadão entretanto, descredibilizar o Senado, tirar a crença da população de que lá é um dos locais de representação, propostas e resolução de problemas é positivo? Tenho essa dúvida mesmo, vale a pena manter isso? Devemos tacar fogo? Não sei, não sei e não sei e isso não tem sido nem um pouco saudável... tentarei tratar mais sobre questões como essa e os acontecimentos no Senado (que ainda insisto em colocar com "S" maiúsculo, embora talvez ele nunca tenha merecido) nos próximos posts. Seguem dois textos tirados de blogs que achei muito legais. Abraços, caetano.

tirado do blog do romano

G1, por indicaçao do Blog Republica de Itapeva....

02/07/2007 - 16h07

Bebês aprendem a mentir aos seis meses
Primeira mentira é chorar quando não há nada errado para obter atenção.
Prática vai ficando mais elaborada e aos 8 meses eles até conseguem distrair os pais.
Do G1, em São Pauloentre em contato

Por trás do rostinho bonitinho, eles já sabem o que fazer para conseguirem o que querem de você (Foto: Science)

Não se iluda com o rostinho fofinho e os olhinhos brilhantes. Bebês são mestres na arte de enganar e mentir para terem suas vontades satisfeitas. De acordo com uma psicóloga britânica, as crianças aprendem a mentir muito antes do que a maioria das pessoas pensa. Com apenas seis meses de idade, eles já sabem que fingir choro é uma boa estratégia para conseguir atenção.

A médica Vasudevi Reddy, da Universidade de Portsmouth, falou ao jornal inglês “The Independent” sobre seu estudo neste domingo. “Chorar de mentirinha é uma das primeiras formas de enganação a surgir, e os bebês usam isso para ter atenção mesmo quando nada está errado. É fácil de ver, porque eles pausam enquanto esperam para ver se a mãe está respondendo, logo antes de voltarem a chorar”, disse ela ao jornal.

“Isso demonstra que eles são claramente capazes de distingüir que o que estão fazendo terá um efeito. É a mesma coisa essencialmente que os adultos fazem quando mentem, mas nos adultos o ato vem mais carregado moralmente”, afirma.

Até agora, os psicólogos acreditavam que o cérebro dos bebês não era desenvolvido o suficiente para praticar a difícil “arte” da mentira. Só por volta dos quatro anos de idade as crianças teriam capacidade de enganar.

Reddy, no entanto, identificou sete “estágios” de mentiras praticadas por crianças entre as tenras idades de seis meses e três anos. Fingir choro e riso são as primeiras práticas que aparecem. Aos oito meses, os bebês já aprendem a esconder atividades proibidas e a distrair a atenção dos pais. Aos dois anos, eles ficam ainda mais espertos e já sabem ‘blefar’ quando ameaçados por uma punição -– por exemplo, dizendo “não me importo” para um castigo, quando claramente se importam.


COMENTÁRIO:

1) EM PLATÃO É DITO O SEGUINTE, APROXIMADAMENTE: SE O FILHINHO QUERIDO CHORAR MUITO, UMA NOITE, PAPAI E MAMÃE DEVEM ATENDÊ-LO COM PRESTEZA, PROCURAR SABER SE O OUVIDO DÓI, A BARRIGUINHA, ETC. NA SEGUNDA NOITE, SE O PEQUERRUCHO CHORA NOVAMENTE, ABRIR O ALERTA, PORQUE ALGO INÉDITO ESTÁ OCORRENDO, SOBRETUDO SE NADA CONSTA EM TERMOS DE DOR. NA TERCEIRA NOITE, CONTINUANDO O BERREIRO, DEIXAR QUE ELE BERRE À VONTADE, POIS ALÍ NASCE O TIRANO. O CONSELHO É REPETIDO POR ROUSSEAU, KANT E OUTROS PENSADORES DEDICADOS À PEDAGOGIA.

2) DONDE SE CONCLUI QUE OS PAIS DOS MOCINHOS QUE ESPANCARAM A JOVEM NO PONTO DE ÔNIBUS, OU NÃO VIRAM AS DORES OU NÃO VIRAM O TIRANO. OU, O QUE É MAIS LÓGICO, ELES MESMOS FORAM NUTRIDOS COM O LEITE DA MAIS PURA TIRANIA.


3) DONDE SE CONCLUI, TAMBÉM: OS SENADORES QUE OCUPAM A TRIBUNA PARA CHORAR LÁGRIMAS DE CROCODILO, OU AINDA NÃO SALTARAM DO BERÇO, E PRECISAM DE CORRETIVO SÉRIO, OU DELE SALTARAM HÁ DÉCADAS E DÉCADAS, SEMPRE AGINDO COMO TIRANOS.

4) DONDE SE CONCLUI QUE OS ELEITORES OU SÃO IDIOTAS OU LENIENTES EM PREJUÍZO PRÓPRIO.

5) CONSIDERO QUE O ITEM ANTERIOR É TOTALMENTE VERDADEIRO, NAS DUAS HIPÓTESES.

6) NO CASO DOS BEBÊS, ALÉM DO BARULHO E DAS VONTADES TIRÂNICAS, OS GENITORES PRECISAM LIMPAR MUITO DAQUELA SUBSTÂNCIA AMARELA, SUMAMENTE APRECIADA PELO PAULO BETTI.

7) É POR TAL MOTIVO QUE O SENADO, NO CONSELHO DE ÉTICA, FEDE COMO DISSE UM SENADOR RETO (PRECIOSIDADE IMPAR).

8) AGORA, QUEM ELEGE OS "BEBÊS" DO CONGRESSO ? O ELEITOR/ELEITORA. A SABEDORIA ANTIGA AFIANÇA: "QUEM PARIU MATEUS, QUE O EMBALE!", OU O EXPULSE DE CASA.

9) NA PRIMEIRA HIPÓTESE DO ITEM ANTERIOR. O CIDADÃO CALE A BOCA, PAGUE A CONTA, LIMPE A SUBSTÂNCIA PREDILETA DO PAULO BETTI, SEM RESMUNGAR.

10) NA SEGUNDO HIPÓTESE, SERÁ LIVRE, DIGNO. HONESTO.

MAS EXISTIRÁ ELEITOR ASSIM, NO BRASIL?

ROBERTO ROMANO

tirado do blog do tas:

A situação não é de CPI mas de psiquiatria

Houve um tempo em que todos éramos PMDB. Ou melhor, MDB, Movimento Democrático Brasileiro. Porque do outro lado só existia a ARENA, o partido da ditadura e do Maluf.

Ulisses Guimarães, o grande líder do partido, era casado com uma velhinha simpática, dona Mora, daquelas que dá vontade de ficar conversando o dia todo ao redor de bolinhos e cafezinho coado.

Ja o atual PMDB deixou de ser caso para a Policia Federal e virou caso para a psiquiatria. Psicopatia: segundo a Wikipedia, distúrbio mental em que sujeito que se mantém a par da realidade, mas carece de Superego. Isto faz com que o psicopata possa cometer atos criminosos sem sentir culpa.

O dicionário Houaiss também acrescenta que o enfermo acometido da psicopatia apresenta comportamentos anti-social e amoral, sem demonstração de arrependimento ou remorso; e incapacidade para amar e se relacionar com outras pessoas com laços afetivos profundos. Além de egocentrismo extremo e incapacidade de aprender com a experiência.

E completa, o nosso bem informado Houaiss: não obstante, as pessoas psicopatas têm condutas criminais sem nenhum sentimento de culpa, mantendo plena consciência dos seus crimes ou das suas intenções criminais.

Nenhum comentário: