12 de set de 2007

Hoje é dia de...

... cassação?
Renan é um dos símbolos do fisiologismo político brasileiro. Sempre ligado ao poder agora pode ser defenestrado do Senado, quem sabe? Política brasileira é uma putaria mesmo, como confiar na lista daqueles senadores, levantada por alguns veículos, se muitos deles até algum tempo atrás eram fiéia aliados de Renan?
caetano.
Aqui vai uma entrevista com o senador José Nery (PSOL/PA), o pricipal responsável pela reprsentação que hoje pode levar à cassação de Renan Calheiros.
Passo aqui também um pequeno perfil do senador/réu elaborado pela Folha de São Paulo de hoje:
A trajetória política de Renan Calheiros, 51, é cheia de paradoxos: ligado ao PC do B na juventude apoiou Collor à presidência; ministro da Justiça de FHC, torno-se um dos principais aliados de Lula. Natural de Murici (AL), iniciou sua carreira no movimento estudantil. Militou no PC do B, ao qual pertence ainda hoje seu irmão Renildo Calheiros, e entrou no MDB movimento pelo qual foi eleito deputado estadual em 1978. Na Assembléia chamava o prefeito de Maceió, Fernando Collor (PDS), de "príncipe herdeiro da corrupção".
Eleito deputado federal em 1982 e reeleito em 1986, patrocinou o ingresso de Collor no PMDB e apoiou suas campanhas a governador e a presidente. Rompeu com COllor quando ele apoiou outro político a governador. Fez campanha pelo impeachment e, com a posse de Itamar Franco, virou vice-presidente da Petroquisa. Em 1994, foi eleito senador.
Apoiou a emenda que permitia a reeleição de FHC e, em 1998, foi nomeado ministro da Justiça. Exonerado em 1999, apoiou a candidatura de José Serra à Presidência, mas se aliou ao petista.

Nenhum comentário: