29 de jan de 2008

Diálogos inexistentes

É vendida uma mística, cercada de um ecumenismo politicamente correto, de que o diálogo entre as religiões é o caminho para a paz na Terra. Pensando nas religiões ocidentais judeus, cristãos e muçulmanos venceriam preconceitos, colocariam seus problemas na mesa e resolveriam pendengas antigas. Um cenário desses é empolgante e até sedutor, certamente muitos dos problemas da humanidade estariam resolvidos. Entretanto, acreditar nisso é cair numa falácia. O diálogo entre religiões - pelo menos entre essas 3 - é impossível. Não existe. É possível chegar a um nível de tolerância -  nos melhores casos - mas o diálago de fato é inviável, nulo. São três religiões pautadas na idéia de povos "escolhidos" e é inerente a esse pensamento que uma se considere superior a outra. A conversa será sempre entre alguém que recebeu a verdadeira revelação e outro que não e, obviamente, cada um achará sua reveleção a real, a maior, a divina. Assim, esse propagado diálogo é apenas um instrumento retórico que exalta uma comunhão de fato impossível. 

Escrevi isso como uma pequena nota pela falta de tempo, um aprofundamento é necessário mas queria, de alguma maneira, tratar do tema. Além disso o blog tá precisando de um certo ritmo. Abraços, cae. 

Nenhum comentário: