19 de jul de 2007

Estado de Direito X Estado de Emergência

Tem saído tantas coisas, das mais variadas fontes, a respeito do acidente aéreo em São Paulo que fica difícil até parar, pensar e refletir a situação. Não tendo como analisar as razões da tragédia espero mais opiniões de especialistas e o decorrer das investigações. Tem sido ridículo determinados jornalistas discorrerem, como se tivessem a maior propriedade do mundo, ranhuras e coisas do gênero. Entretanto estou longe de querer encerrar a questão: o estado da aviação brasileira é caótico e estamos numa crise grave. Creio então ser mais pertinente a análise critica justamente de como Estado brasileiro e governo Lula vêm sendo omissos e incompetentes. Ruminarei um pouco, refletirei, e tentarei, mais pra frente, discorrer mais, e com mais propriedade, sobre o assunto. Por enquanto fico com um post de Marcelo Tas em seu Blog, a coisa mais pertinente, segundo meu entendimento, a rolar sobre o tema esses dias.
Abraços, Caetano.

"Emergência", o refúgio dos medíocres

Responda rápido: quantos "gabinetes de emergência" foram criados para resolver a crise aérea que se arrasta há 10 meses?

De todos eles, participou a incrível figura do Ministro da Defesa Waldir Pires.

De todos eles, emergiu a incrível figura do Brigadeiro José Carlos Pereira, presidente da Infraero, para declarar aos microfones que o sistema aéreo brasileiro é "um dos mais seguros do mundo". Será que dessa vez ele vai ter a mesma cara-de-pau?

De todos eles, o presidente Lula exigiu uma solução em 48 horas que nunca veio.

De todos eles, o presidente se esqueceu de cobrar o que exigiu.

Será que agora a Infraero explica por que priorizou as obras no terminal luxuoso de passageiros de Congonhas e não nos equipamentos básicos de segurança, como a pista principal do aeroporto, que vem sendo criticada sistematicamente pelos aeronautas há anos?

Será que agora a Infraero explica por que fez o mesmo no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, que sofreu um incêndio anteontem?

Será que agora, as empreiteiras que se beneficiaram com essas obras gigantescas espalhadas pelo Brasil serão investigadas?

Será que um dia vamos trocar o estado de emergência por um estado de direito?

Nenhum comentário: